top of page
Buscar
  • Associação Holandesa

Livro que resgata os santinhos dos emigrantes holandeses é lançado oficialmente

A Antropóloga Renate Stapelbroek, que atualmente reside em Berg en Dal – Nederland, há alguns anos iniciou uma pesquisa entre os holandeses que emigraram para o Brasil após a segunda guerra. Como essas pessoas olham para trás em suas vidas? O que eles acham que é importante lembarar e como eles fazem isso? Que significados eles derivam da mudança de país? E....como os emigrantes que voltaram para a Holanda sentem isso? Em busca de respostas para estas questões, após receber santinhos de emigrantes holandeses falecidos e vendo as memórias ali registradas, resolveu coletar mais santinhos, pensando que ali encontraria respostas às suas pergundas. A partir desta iniciativa sugiu este livro bilíngue, intitulado


Em memória de … Santinhos de emigrantes holandeses no e do Brasil


Ter herinnering aan … Bidprentjes van Nederlandse emigranten in en uit Brazilië


(1948- 2021)


O lançamento ocorreu num evento transatlântico, que reuniu de forma on-line, no dia 02 de novembro, “Dia de Finados”, imigrantes holandeses e descendentes em Não-Me-Toque/RS, na Câmara Municipal de Vereadores; em Holambra/SP, no Museu Holandês; e na Abadia de Berne/NL. Foi uma experiência única, pois além da apresentação formal do livro, houve a opoutunidade de interação entre participantes das diferentes comunidades, revendo amigos, ex-vizinhos e conhecidos da época da imigração.


Em Não-Me-Toque estavam prestigiando o evento o Presidente da Câmara Municipal de Vereadores o Sr. Maiquel de Souza, a Secretária de Educação Sra. Luciana Renz representando o Executivo Municipal, além de Imigrantes e descendentes.


A Coordenação local do evento ficou a cargo da Presidente da Associação Holandesa de Não-Me-Toque, que também foi a mediadora da edição do Livro que foi executada pela Gráfica Editora Grapel. Contando com apoio imprescindível do Sr Willibrordus van Liesout que além de auxiliar na coleta dos santinhos, foi responsável pela tradução. Bem como a Jornalista Helaine Zart, que fez a correção gramatical, e Stefano do Santos, do Portal NMToque, que viabilizou o evento on-line.


Além da coletânea dos santinhos, Renate faz considerações importantes sobre os significados dos textos e num trecho cita: “Se a emigração faz parte da memória coletiva da família, cabe aos familiares dar a este acontecimento um lugar na lembrancinha de luto do seu ente querido. Muito santinhos trazem este registro, mas e os que no momento da dor da perda do seu ente querido não conseguiram expressar a totalidade das emoções, agora procuraram a autora para deixar esta marca registrada. Isso resultou na publicação de quatrocentos exemplares únicos, coletados por ano de morte, de 1948 a 2021.”


A Presidente Teodora na apresentação do livro cita: “com certeza, posso afirmar que este livro traz no seu bojo a energia positiva de pessoas que muito labutaram para construir uma história transformadora nas comunidades brasileiras onde viveram. Pessoas simples, empreendedoras, religiosas e que tinham na família seu esteio.”


O evento encerrou com a oração do Pai Nosso “Onze Vader”, cantada em Holandês pelo Tenor Luiz Carlos Wiedthauper.




71 visualizações0 comentário

Комментарии


bottom of page